anne.

Desabafos


Toda vez que olho no espelho tento desviar a atenção do cabelo para outra parte do meu corpo, que não sejam as estrias, a gordura, as espinhas o inchaço ou qualquer outra coisa que seja consequências do meu tratamento de saúde. Sei que devo dar graças a Deus por ter sobrevivido e estar passando por tudo isso com saúde, mas confesso que é bem difícil. 

De longe sei que pareço me vitimizar, mas juro que não é esse o ponto. Quero continuar o tratamento até o final e ficar com a saúde 100%, mas também quero me sentir bonita, quero me sentir bem, quero me olhar no espelho e amar aquilo que eu estiver vendo, quero me amar e me aceitar do jeito que sou com qualidades e defeitos.

Auto estima pra mim sempre foi muito importante, desde adolescente aprendi a me amar e me aceitar do jeito que eu sou, o pacote completo, com defeitos e qualidade. Amor próprio é primordial pra qualquer coisa na vida e eu sei bem disso, mas ultimamente é muito complicado me olhar no espelho e me amar.

Acabei desabafando pra minha amiga: gorda, com estria, bochechuda e careca pra mim não dá. E não dá mesmo. Ponto final. Não aceito de jeito nenhum. Mas me separar de mim mesma é que não vou, me obrigar a me olhar no espelho também não. Atitude seria a palavra certa, mas não é exatamente o momento pra focar em beleza e sim em saúde. 

Acontece que a saúde mental pode não estar conectada a beleza, mas está a bem estar que diretamente se liga na auto estima. E como já venho dizendo se sua cabeça não está bem não tem como seu corpo está. Sei que pra mim é só uma fase e eu posso simplesmente depois fazer vários tratamentos e ficar linda maravilhosa. Mas até lá o que eu devo fazer? Me deixar apodrecer e não ligar ou fingir que está tudo bem e seguir em frente?

Nenhum comentário:

Postar um comentário