anne.

Pra casar


Minhas amigas vivem separando os homens em duas categorias: os que são pra casar e os que não são. Geralmente o cara da balada não é pra casar, nem o filhinho de papai que não trabalha, muito menos aquele desconhecido do encontro às cegas, nem aquele bonitão na para de ônibus, os homens que são pra casar são aqueles inteligentes, com emprego ou bom estudo, bonitos e divertidos, carinhosos e atenciosos, amorosos e bondosos, que a gente conhece na fila do mercado e acabou de sair de um relacionamento sério, aquele melhor amigo nerd que depois de uns anos começou a malhar. 

Eu particularmente discordo disso, os homens não podem ser divididos assim. Todos são pra casar eles só não estão interessados ainda. Um cara sai pra dançar com os amigos e beber em uma boate está procurando por diversão e não por uma esposa, e vai saber o que tem por tas disso, ele pode muito bem acordar no dia seguinte ir trabalhar bem cedo, estudar a noite e se divertir com os amigos. Um amigo divertido e leal, mas não tão bonito, que gosta de jogar vídeo game também não quer dizer que ele seja pra casa, ele pode ser um crianção que ainda não se desenvolveu. 

Dividir as pessoas nessas duas categorias precisam de outros argumentos, a primeira pergunta é: elas querem casar? Sempre ouvi minha amiga reclamar que não consegue encontrar um cara legal pra um relacionamento, será que eles não a taxam de: ela não é pra casar porque nós conhecemos na balada? Mas ela é pra casar sim, ela quer, ela sabe amar como ninguém, ela é linda, é inteligente e esperta, gosta de bons restaurantes e de ir ao cinema, gosta de focar nos estudos e tem um ótimo trabalho, mas ela foi pra boate e por isso não é pra casar, mesmo ela querendo muito. Já era, amiga, desista. 

Eu penso que as pessoas se dividem nessas categorias quando estão prontas, umas demoram mais que as outras, umas precisam de um empurrão e algumas nunca saem de sua categoria. Você ser pra casar ou não depende somente de você. Ainda pode sim querer encontrar alguém e continuar saindo com os amigos pra bares, assim como você pode não querer casar e não sai pra lugar nenhum. 

Eu não era pra casar, casei. Meu marido não era pra casar também é veja só. Seria o mesmo que dizer o que é comestível e o que não é, podemos comer todo tipo de alimento mas eu não comeria brócolis por nada nesse mundo, mas meu amigo adora um desses refogado. Essa comparação é meio boba, mas funciona bem na hora de expor um argumento apreciado pela minoria em minhas discussões com minhas amigas. Seja pra casar ou não as pessoas têm suas maneiras de se divertir, e não é justo serem divididas nessas categorias pelos lugares que frequentam. Seguindo essa mesma lógica eu deveria ser uma velha já com vários gatos espalhados em minha sala, e eu nem gosto de gato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário