anne.

Vida de gente grande

Eu tenho 20 anos, sou casada, não moro com meus pais, trabalho 8 horas por dia, tenho carro, responsabilidades, dinheiro, contas, desejos, sonhos, fracassos. Sou como uma pessoas qualquer, mas é daí? Acontece que as vezes eu me sinto uma menina vivendo a vida de uma mulher, uma adolescente vivendo a vida de uma adulta, é uma sensação estranha é diferente, gostosa e libertadora, mas ao mesmo tempo assustadoramente desafiadora. 
Talvez a ficha não tenha caído, talvez minha mente ainda não tenha percebido, eu comecei a minha vida de gente grande. Ainda é estranho ir no mercado e fazer as compras, se eu esquecer de algo minha mãe não vai comprar pra mim. Engraçado como a frase que o Tio Ben (tio do Peter Parker do Homem Aranha) disse "com grandes poderes vêm grandes responsabilidades" se encaixa na minha vida agora, tanto no trabalho quanto em casa. 
Meu marido veio falar, estamos começando nossa vida de gente grande, temos estresse no trabalho, temos que assumir nossas consequencias, não somos mais protegidos e guardados em casulos, temos contas a pagar, um trabalho para o qual ir todos os dias, um horário pra comprir. E não pense que estou reclamando não, conquistei a liberdade, livre aliás, sempre fui, adquiri o direito de não cumprir deveres impostos por aqueles que nos sustentavam. Tenho hoje por mim a autonomia integral que alguém já teve em meu nome, tenho também que me cuidar, me aconselhar, me acordar, me alimentar, agora eu sou a minha dona, sou a minha liberdade. 
É essa vida de gente grande que estou vivendo, experimentando e adorando o gosto da liberdade e da responsabilidade, aguentando as frustrações que eu não via em casa, criando uma rotina de várias mulheres, esposa, dona de casa, trabalhadora, amiga e aspirante a escritora. Me perdi e me achei nesse mundo, sem rumo e sem liberdade. Ainda não me sinto adulta, muito menos criança sei bem que não sou mais adolescente e quem disse que a adolecencia era a fase de transição esqueceu que ser adulto é diferente, crescer e assumir o que estava nas mãos dos pais é desconhecido, entrar nessa vida de gente grande é assustadoramente delicioso, é incrivelmente assustador e acima de tudo a gente não percebe de imediato, leva um tempo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário