anne.

Quando a gente quer voltar a ser inocente

Não sei em qual ponto que aconteceu, não sei o que desencadeou mas cá estou eu, perdida, diferente do que eu sou, daquilo que quero ser, e sem minha doce inocência. Não se pode agradar a todos, e nem quero, mas quero me agradar a mim mesma, somente a mim me interessa o meu eu. 

Não errei meu português e dou 7 anos de azar aqueles que me julgarem. Redundância na dramatização de uma opinião que deve ser repetida nunca é demais. Sem mais delongas, percebi que não sou eu mesma, olhei-me no espelho e vi algo que eu não queria ver. Uma garota ou mulher (não sei) que perdeu há tempo sua inocência, sua doce personalidade, sua meiguice e o principal seu amor por ela mesma (mais conhecido como amor próprio). 

Talvez pela decepção amorosa, talvez pelo amadurecimento, ou não, apenas influências, ou simplesmente porque Deus quis. Não sei, talvez eu nunca saiba, só sei que eu não sou mais quem eu quero ser. E acho que quando uma pessoa percebe que perdeu sua inocência ou mudou tem algo de errado, e não no mundo, e não comigo mesma, só tem algo de errado. 

Não quero voltar a ser quem eu era, não quero continuar sendo quem sou, não quero me decifrar, não quero escrever, quero me explorar, me descobrir aos poucos, devagar, com carinho, só eu e eu mesma, reconhecendo meus erros e aplaudindo meus acertos. Ser eu mesma sem medo de mim, fazer o que me der na telha comigo mesma e o principal amando a quem eu realmente devo amar: EU.

E a inocência? Não sei, nunca sei onde ela vai parar, simplesmente some e eu não gosto disso, acho que a coisa mais linda que uma criança tem é a inocência, porque perdemos? Por que eu perdi a minha? 

Inocência: característica, estado do que é inocente, ausência de culpa; atributo da pessoa que não consegue cometer ato ilícito; desprovido de malícia. Essa é a definição do dicionário e foi isso que eu perdi e não volta mais, já era. Ou será que podemos voltar a ser inocente uma vez corrompidos? Uma pessoa consegue simplesmente voltar a ser desprovido de cometer atos ilícitos ou não sentir culpa pela ignorância? Ou será que a inocência nasceu pra ser perdida? Viver em um mundo onde a inocência é eterna, onde seremos sempre os mesmos. Terra do nunca, a terra de Peter Pan. 

Não, obrigada. Não quero ser a mesma sempre, não da pra ser inocente pra sempre, a gente cresce, a gente aprende e agente muda. Nós só não podemos ser quem não queremos ser, mas será que eu posso ser quem eu quiser? Será que eu posso me escolher? E quem eu quero ser? Não sei, mas eu não quero continuar sendo do jeito que estou. Que venham novos desafios e novos erros, estou pronta para novas escolhas. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário