anne.

Ela é demais para mim


     Ela é demais para mim. Quem nunca viu ou ouviu falar desse filme?! Tá perdoado. Eu só ouvi bastante sobre por causa dos meus primos, irmãos, amigos, colegas, conhecidos. Porque tem uma loira 'gostosa', demais, na opinião deles é claro. O filme é muito legal, é um romance, eu adoro romances, e eles ficam juntos no final, mas ela é demais e ele é só um mané. Mas o que eu realmente reparei no filme não foi o romance ou ela ser demais para ele, foi outra coisa: a questão da auto estima.

     O filme desenrola a história de Kirk um segurança de aeroporto que é convidado para sair por Molly, a loira 'gostosa'. Nos primeiro encontros Kirk não esperou por muita coisa, esperava sempre um bolo dela, ou que ela iria dar um fora nele logo logo. Mas muito enganado! Molly gosta de Kirk e quer ficar com ele, mas ele a coloca num pedestal, esperando o momento de achar um defeito nela para que ele se apoie e aceite que uma mulher como ela pode ficar com um cara como ele. Os dois terminam após uma briga feia em relação a ele ter problemas de auto estima e coloca-la em um pedestal que ela acha não merecer, Stainer um amigo de Kirk o convence de que ele é um 10 e o coloca para correr atras de Molly.


    Sabemos que muitas pessoas sofrem de baixa auto estima, e o que eu gostei muito nesse filme foram as palavras da Molly ditas ao Kirk. Ele não achava ser suficiente para ela, ai está, ele era, porque ela gostava dele mesmo sendo um 5.
    Ver esse filme me fez pensar muito, além daquela ladainha: seja você mesmo; goste de você do jeito que você é; não se importe com o que as pessoas pensam. Acho que não é nada disso, ou talvez seja tudo junto, a questão é não aumentar ninguém, pois a comparação faz uma pessoa se sentir como um 5, se você não tem com o que se comparar certamente você não tem problemas. Se diminuir é uma coisa que milhões de pessoas fazem por dia, então em vez de dizer que você está fora de forma diga que  tem uma risada contagiante, em vez de dizer que tem um cabelo ruim, diga que é engraçado. Comesse a apontar as coisas boas que você tem, inteligência, sorriso bonito, olhos que seduzem... Se olhe no espelho e não diga que deve gostar de você feio do jeito que você é, ou gordo do jeito que você é, mas não eleve seus defeitos ao ponto de não enxergar as coisas boas que você tem. Aumente suas qualidades para que seus defeitos se tornem insignificantes.
 

      

4 comentários:

  1. Não conhecia o filme, mas pelos seus comentários ele é realmente muito bom. Achei interessante pegar nesse ponto da auto-estima. Quem nunca gostou daquela pessoa mais "estranhinha" que atire a primeira pedra! Eu mesma, sempre me vejo ignorando pessoas mais "completas" e preferindo a companhia dessas outras.... E confesso que quando paramos para ver melhor, você enxerga um mundo inteiro de coisas boas dentro delas! Adorei seu blog! Tanto o design, quanto as postagens e, obviamente, já estou lhe seguindo! :D


    Beijinhos, Amanda Cristina.
    www.primeiro-livro.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Eu já assisti ao filme, mas faz um tempo. Realmente tb refleti sobre como somos propensos a ter uma auto- imagem diferente da impressão q causamos em outras pessoas. É algo q todos, ou a maioria, precisamos trabalhar.

    Sendo sincera, eu não gostei mto do filme. Pensei q seria mais divertido... Mas só pelo fato de me proporcionar uma boa reflexão, valeu a pena!

    BjoO
    Pri
    Entre Fatos e livros

    ResponderExcluir
  3. Amanda Cristina,
    Olá, eu gostei do filme, tanto por ser do meu gênero preferido quanto por ter pego no ponto que todo mundo um dia sofreu, sofre ou vai sofrer.
    Agradeço sua apreciação pelo meu espaço online.
    :D

    ResponderExcluir
  4. Olá Pri,
    Pena que não gostou muito do filme. Mas certíssima ele proporcionou uma reflexão de verdade.
    Eu assisti ao filme duas vezes, mas só na segunda realmente parei pra refletir sobre a questão da auto-estima em que o filme trabalhou.
    Beijos&Abraços

    ResponderExcluir